Entenda como funciona a subscrição de ações

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram

O direito de subscrição de ações pode levantar muitas dúvidas nos investidores iniciantes. Mas, o Banco BS2 vai te explicar os principais pontos de como funciona a subscrição de ações.  

Quando uma companhia listada na B3 – a bolsa de valores do Brasil – tem necessidade de aumentar seu capital, um dos caminhos é a emissão de novas ações, que dá a seus acionistas o direito de subscrição a essas novas ações. Funciona da mesma maneira para fundos imobiliários que emitirem novas cotas. 

O direito de subscrição significa que aqueles que já são acionistas recebem preferência para comprar essas novas ações no mercado secundário, de acordo com a proporção de ações que já possuem e por um preço predeterminado.

CDB escalonado

A companha também define uma data de vencimento para que esses acionistas demonstrem interesse de exercer seu direito. Depois desse período, o direito de subscrição é extinto. No geral, o direito de subscrição tem como objetivo proteger os atuais acionistas da diluição de sua participação acionária na companhia.

O que fazer com o direito de subscrição das ações?

A companhia, normalmente, privilegia quem já é investidor, dando a ele a oportunidade de participar do investimento em primeira mão. Assim, o acionista tem duas opções:

  • Exercer o direito de subscrição
  • Vender a terceiros o direito de subscrição

Como Exercer o direito de subscrição?

A corretora costuma avisar o investidor quando a companhia quando delibera sobre a nova emissão de ações, sobre todas as condições da subscrição, como prazo, preço do papel e percentual ao qual tem direito. As informações também são divulgadas no site da B3:

  • Deliberado em: data em que a empresa decidiu emitir as novas ações para subscrever;
  • Negócios até: data de compra limite das ações originais para receber direito a subscrição;
  • Porcentagem: parcela que você terá direito de subscrever, de acordo com a sua posição atual;
  • Preço de emissão: valor predeterminado pela companhia para compra das novas ações;
  • Data de negociação: data limite para negociação com terceiros, caso você queira vender o seu direito;
  • Subscrição até: limite para exercer o direito de subscrição

Se optar por equiparar sua participação acionária na empresa e exercer seu direito de compra, precisa comunicar a decisão à corretora. No Banco BS2, basta falar com o seu assessor que ele facilita os tramites e te ajuda a exercer o seu direito.

Recibos de subscrição

Os recibos de subscrição podem ser identificados no home broker por meio dos códigos de negociação com final 9 e 10, sobre ações ordinárias e preferencias, respectivamente, como, por exemplo, PETR9 e PETR10.

Caso o acionista não queira exercer seu direito de subscrição, é possível negociá-lo diretamente pelo home broker, utilizando o próprio código do direito como, geralmente formado pelas quatro letras da ação, acrescidos de final 1 para ações ordinárias e 2 para ações preferenciais. Por exemplo, VALE1 ou VALE2.

fundos de crédito privado

Para negociação no mercado fracionário, basta inserir o F no final, como, por exemplo VALE1F ou VALE2F. Para negociá-lo, basta se certificar de que a companhia disponibilizou o direito de negociação de subscrição para terceiros e vendê-lo da mesma forma que as ações, dentro do período estipulado, que gira em torno de 30 dias.

O acionista também pode, caso queira, comprar mais direitos de subscrição no mercado secundário, assim como um não acionista pode comprar os direitos e solicitar a subscrição respeitando as mesmas datas e preços de subscrição.

Investimento é no banco BS2

Gostou deste conteúdo? Então, compartilhe em suas redes.

Baixe o app do Banco BS2 e abra uma conta investimento!  

Abra uma Conta BS2 Empresas!   

Posts Relacionados

Deixe o seu comentário abaixo

Siga a gente nas redes sociais

Posts mais lidos

Posts recentes