O que são Letras de Câmbio?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram

Ainda pouco conhecidas pelo investidor brasileiro, as Letras de Câmbio são aplicações de renda fixa. Apesar do nome sugerir, as letras de câmbio não têm a ver com moedas estrangeiras como o euro ou o dólar. As LCs são títulos que as financeiras emitem com o objetivo de captar recursos de investidores para emprestar a seus clientes.  

Portanto, quando você investe em uma letra de câmbio, está emprestando dinheiro para essas instituições e receberá juros como remuneração por isso. Nesse sentido, as LCs são semelhantes aos CDBs. A diferença é que os CDBs são emitidos por bancos.  

E justamente para tornar seu produto mais atraentes para os investidores, as financeiras costumam oferecer rentabilidades melhores para as Letras de Câmbio. No entanto, é preciso ficar atento que rentabilidade é apenas um dos aspectos que se deve avaliar em uma aplicação.  

Geralmente, só é possível sacar o dinheiro investido em uma LC na data de vencimento. E esse prazo costuma variar para cada instituição. Por isso, antes de se investir, esclareça quanto tempo seu dinheiro pode ficar aplicado sem precisar do resgate.   

Quem investe em Letra de Câmbio vai pagar o IR (imposto de renda) sobre a rentabilidade, e caso a aplicação ocorra em até 30 dias, também haverá o IOF (imposto sobre operação financeira). É importante dizer que esses impostos são calculados sobre o lucro que você tiver, e não sobre o valor investido.    

No caso do IR (imposto de renda), a alíquota diminui conforme o tempo em que o dinheiro ficar aplicado. Esse cálculo e o recolhimento do imposto são feitos automaticamente, na hora do resgate do investimento. A tabela do IOF também é regressiva e, depois do trigésimo dia do início do investimento, a alíquota é de 0%. Ou seja, se você permanecer com a aplicação por esse tempo ou mais, não terá que pagar o tributo. 

Por último, é importante saber que a remuneração das LCs pode ter taxa pós-fixada, prefixada ou híbrida. Quando ela é prefixada, o valor é fixo para todo o período do investimento. Por exemplo: 10% ao ano.  

Na pós-fixada, a rentabilidade é atrelada a um indexador da economia. Por exemplo: a taxa é de 100% da Selic; ou 110% do CDI.  

Ou seja, o rendimento está ligado à performance do índice. Se ele subir, os rendimentos aumentam e vice-versa. 

Já a taxa híbrida tem uma parte do rendimento fixa e outra atrelada a indexadores ligados à inflação, como o IPCA e o IGP-M.  

Agora que você já sabe como as LCs funcionam, que tal pesquisar as opções na sua conta-investimentos BS2?  
 
Ainda não tem conta? Abra uma agora mesmo. Direto no app!   

Abra a sua conta no Banco BS2 e aproveite as vantagens do PIX (Google Play) 
Abra a sua conta no Banco BS2 e aproveite as vantagens do PIX (Apple Store) 

Posts Relacionados

Deixe o seu comentário abaixo

Siga a gente nas redes sociais

Posts mais lidos

Posts recentes