Mega Vazamento de Dados: o BS2 te mostra o que fazer para não cair em golpes e fraudes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram

 
Em janeiro, mais de 223 milhões de dados de brasileiros foram vazados na internet. O mega vazamento ainda está sob investigação das autoridades para identificar a fonte do vazamento. O número é maior do que a população do país, estimada em 212 milhões, porque inclui dados de falecidos. 

Entre as informações vazadas incluem: 

– Dados básicos relativos ao CPF (nome, data de nascimento e endereço). 
– Endereços 
– Fotos de rosto 
– Score de crédito (que diz se é bom pagador), renda, cheques sem fundo e outras informações financeiras  
– Imposto de renda de pessoa física 
– Dados cadastrais de serviços de telefonia 
– Escolaridade 
– Benefícios do INSS 
– Informações de redes sociais  
– Veículos  
– CNPJ  
 
Essa ampla base de dados abre possibilidades para as mais diversas ilicitudes, entre elas, a realização de cadastros falsos para abertura de contas em bancos e aquisição de cartões de créditos, obtenção de benefícios sociais (auxílios, FGTS, etc.), compra e venda de bens, bem como o uso de falsa identidade para a aplicação de golpes por telefone ou WhatsApp em familiares e conhecidos, entre outros.  
 
Diante disso, o banco BS2 reuniu algumas dicas valiosas para te ajudar a minimizar o risco de prejuízos e possíveis golpes e fraudes.  

Não forneça ou confirme dados por telefone ou aplicativos não seguros (como WhatsApp, Telegram, entre outros). Ainda que os perfis/usuários pareçam ser de instituições legítimas (bancos, Poder Judiciário, Ministério Público, grandes empresas etc). Caso seja contatado, comunique-se diretamente com o gerente, administrador ou representante da instituição/empresa pelos canais oficiais e confirme pessoalmente a legitimidade do contato, a razão da comunicação e a utilização que será feita com os dados solicitados. 

Se receber um e-mail com assunto suspeito supostamente vindo de instituições legítimas, principalmente se a mensagem cair na caixa de “Spam”, delete a mensagem sem abri-la. Tais e-mails podem conter programas que infectam seu terminal e conseguem se apropriar de dados sensíveis, como suas senhas de banco e de redes sociais, por exemplo.  

Se receber uma mensagem SMS informando sobre uma transação que não foi feita por você, não a responda. Ao respondê-la, você envia informações do aparelho de celular que podem confirmar aos criminosos a sua identidade. 

Não clique em nenhum link de mensagens enviadas por SMS, WhatsApp ou outros aplicativos as quais tenham conteúdo suspeito (por exemplo, chamadas como “você ganhou um prêmio”, “você está sendo notificado de uma multa”, “fotos vazadas de alguém conhecido ou famoso”) ou que tenham sido enviadas por pessoas cuja identidade você não pode confirmar. Esses links também podem conter programas que infectam seu terminal e conseguem se apropriar de dados sensíveis, como suas senhas de banco e de redes sociais. 


Alerte parentes e familiares acerca da gravidade do vazamento em foco e das possíveis consequências. 


Não realize pagamentos e transferências de valores ou forneça informações sensíveis quando houver solicitação por meio de aplicativos ou telefonemas, mesmo que sejam aparentemente de pessoas que você conhece. Com os dados vazados, qualquer um pode se fazer passar por um parente ou amigo e dar detalhes pessoais para transmitir credibilidade. Ligue para o telefone da pessoa que o contatou e confirme ser ela mesma antes de tomar qualquer das atitudes acima. 

Verifique com atenção e maior periodicidade os extratos de contas bancárias, a movimentação de aplicações financeiras, as faturas e as contas em que recebe, para identificar mais rapidamente alguma fraude e minimizar prejuízos.  

Cadastre-se em aplicativos como os serviços de alerta da Serasa e o Registrato, do Banco Central, para monitorara situação do seu CPF, contas bancárias e financiamentos com seus dados. 

Realize a troca de senhas de e-mails, app, bancos e redes sociais. Procure usar senhas mais seguras, aleatórias, com oito ou mais caracteres, incluindo letras maiúsculas e minúsculas, caracteres especiais, operadores matemáticos, sinais de acentuação ou números.  

Ative a verificação, em duas etapas, em todos os produtos/serviços que possuírem esta funcionalidade (especialmente o WhatsApp). Com o PIN, você dificulta que alguém que obtenha o acesso ao seu aplicativo consiga usá-lo em outro terminal. 

Caso seja constatado o cometimento de alguma fraude a partir da utilização indevida de seus dados, providencie um Boletim de Ocorrência a respeito dos fatos. Tal medida é relevante para que o ocorrido conste dos Registros de Eventos de Defesa Social (REDS) e para que uma investigação estratégica e operacional seja realizada, além de servir como registro público indicativo de uso de seus dados por terceiros. 

O Banco BS2 reforça o compromisso de manter suas informações financeiras seguras e protegidas de golpes e fraudes.  

Posts Relacionados

Deixe o seu comentário abaixo

Siga a gente nas redes sociais

Posts mais lidos

Posts recentes